quarta-feira, fevereiro 07, 2007

Vendi a alma

Quando te vi trazias no teu peito as mãos a abraçar um coração triste e vazio.
Deixava-te o passado as marcas de um presente inacabado, e o futuro perguntava-te incerto um poema.
Nadei contigo num rio de lágrimas, e enxuguei-as com o algodão das nuvens onde te fiz viajar.
Caminhei ao teu lado e pintei o teu corpo de carícias, dormi no teu colo e deixei-te aquecer o meu.
Pintei-te um poema, ofereci-te uma flor e deixei-te ir... Não posso prender o amor que quero livre...mesmo que para isso tenha vendido a alma.

1 comentário:

murphy disse...

Minha querida amiga, nunca vendemos a alma quando somos fiéis a nós próprios:) Com o tempo tenho aprendido que apesar de todas as promessas, juras, e outras, só tens no mundo uma pessoa com quem realmente podes sempre contar.. TU!!